Páginas

Nos acompanhe por Email

quinta-feira, 1 de março de 2012

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Sobre Escola Floriano



HISTORICO DA ESCOLA FLORIANO PEIXOTO

O primeiro nome dado a esta Instituição foi Colégio Cícero Dantas, por extensão à denominação de sua matriz na cidade de mesmo nome. No inicio o Colégio era uma entidade privada dirigida e mantida pelo o senhor José Batista Gouveia, e funcionou durante 15 anos, de 1972 a 1987. A escola tinha uma estrutura simples, de quatro salas separadas em dois blocos de quatro salas, espaço para recreação, corredores e quatro banheiros. A Instituição funcionava com quatro turmas, oito professores e aproximadamente cento e cinqüenta alunos. Como dirigentes tinha o Sr José Batista Gouveia como diretor, Ana Maria Almeida Gouveia como vice, Maria Neuza Pereira Lima Oliveira como secretaria, Marilene Santana, Edna Borges Vieira e Antonio Andre como auxiliares administrativos.
O Colégio tinha alguns colaboradores como, Dr. Aldovrando Felix nascimento, professor Gerson Silva, Monsenhor José Elias, João Maria de Oliveira, Marilene Santana, Edna Borges, Antonio Andre, Família Borges, e diversas pessoas da comunidade que colaboravam com doações de materiais e com mão de obra para construção das primeiras salas de aula.
É importante ressaltar, que houve uma relação efetiva entre a fundação e funcionamento do Colégio Cícero Dantas, aqui em Fátima com a Emancipação Política deste Município, como pode ser comprovado na fala do Senhor José Batista Gouveia:

Estávamos no mês de fevereiro ou março do ano anterior a emancipação, preparando a escola para o inicio do ano letivo, quando recebemos a visita inesperada do deputado Jorge Viana e ex deputado Raimundo Cafezeiro, residente na época em Jequié- Bahia, que pretendiam fundar o partido político PMDB, NO MUNICIPIO DE Cícero Dantas, ocasião em que os conduzimos à residência do senhor João Maria, que por muito tempo lutava pela emancipação de Fátima. Lá na residência do Senhor João Maria, além dos assuntos políticos, comentou-se também sobre o projeto da emancipação tão almejada. Coincidentemente o ex deputado Raimundo Cafezeiro, que entendia do assunto, já tendo sido relator de diversos projetos exitosos de emancipação de outros municípios colocou-se a disposição do senhor João Maria para dar prosseguimento ao projeto, o que foi aceito pelo o mesmo, passando-lhe a pertinente documentação. No ano seguinte Fátima foi emancipada.

A historia desta Instituição não parou, anos depois houve a mudança de denominação passando de Colégio Cícero Dantas para Escola Municipal de 1º e 2º graus Floriano Peixoto, nome dado pelo Senhor João Maria de Oliveira.
A Escola Municipal de 1º e 2º Graus Floriano Peixoto, fundada em 02 de junho de 1988, situada na Avenida Tancredo Neves, s/n, na cidade de Fátima – Bahia. Desenvolve um trabalho diretamente com o Ensino Fundamental de 1º ano a 8ª serie, Educação de Jovens e Adultos e Educação Especial. Contamos com uma equipe de 63 professores. Educadores dedicados, comprometidos com a educação com metas e objetivos estabelecidos, onde os mesmos buscam concretizá-los. Trabalhamos com 1.207 alunos em toda a faixa etária, cidadãos em formação, os quais são considerados muito importantes para esta Unidade Escolar, pois sem eles não teríamos como desenvolver um trabalho educacional. Os demais funcionários como os porteiros, merendeiras, zeladores, digitadores, agentes administrativos e outros, forma uma equipe de aproximadamente 100 funcionários, os quais unem forças para realização de grande parte do trabalho escolar.
As dificuldades são muitas, mas concordamos com Paulo Freire, concluindo que a Escola Floriano Peixoto é e procura ser:

O lugar onde se faz amigos.
Não se trata só de prédios, quadros, programas, horários, conceitos...
A escola é sobretudo, gente, gente, que trabalha, gente que estuda, se alegra, se conhece, se estima.
O diretor é gente, o coordenador é gente, o professor é gente, o aluno é gente, cada funcionário é gente.
O importante na escola não é só estudar, é também criar laços de amizades, é conviver, é amarrar-se nela.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012